sexta-feira, 28 de novembro de 2014

PESCA CAIPIRA NO BAMBÚ!

Olááá pescadozada do meu rincão boiadeeeero sô!!!
Hoje quero comentar mais uma vez aqui sobre esta técnica que todo pescador que se preze já praticou alguma vez na tua infância ou até mesmo atualmente na vida adulta no pinxo de outras espécies como tilápia, curimba, piava e a nossa Hoplias Malabaricus.
Pescaria boa demais da cooooooonta sô!!

É uma técnica muuuuuito antiga que vem lá dos primeiros colonizadores do Brasil (imagina o tamanho dos peixes daquela época não?) e uma das mais prazerosas. É muito legal levar nossos filhos pra praticar esta técnica pra passar um momento com os pimpolhos e ver sua carinha de alegria deles e tirar as "kilanças" um pouco da frente da tecnologia (computador, video game, celular etc) e ver o que é natureza de verdade sô!
Toceiras de bambú aqui no sítio é o que mais tem. nunca vi coisa igual sô!!!

Sabendo que bambú é o que mais se tem no Brasil véio sem poorrrtera, não falta qualidade de vara para o pinxo da traíra e sabendo que tem uma técnica certa pra se fazer tal apetrecho, não me lembro como mas futuramente postarei aki algum video sobre tal assunto.

Video muuuuuito bom sobre esta pescaria caipira sô!

Em suma meus amigos: Pratique a pescaria que for mas solte sempre os menores ou os peixes que não irá consumir, pois o futuro deixaremos aos nossos e isso meu irmãos, não tem preço que pague!!!


quarta-feira, 12 de novembro de 2014

VIROU O PONTEIRO MAIS UMA VEZ!!!




OLAÁÁÁ PESCADOZADA DO MEU RINCÃO BOIADEEERO SÔ!

HOJE TO MUUUITO FELIZ POR MEU BLOG TUDO SOBRE TRAÍRA TER CHEGO AOS 200.000 VIEWS E ACABEI DE CONCLUIR QUE ESSE PEIXE CHAMADO "TRAÍRA"  OU MAIS COMUMENTE POR AQUI DE "HOPLIAS MALABARICUS" , TEM MAIS VICIADOS E ADEPTOS NO SEU PINCHO, DO QUE EU IMAGINAVA SÔ!

E VAMO QUE VAMO, POIS TRAREI MUUUUITO MAIS MATÉRIAS, FOTOS E ENSINAMENTOS PARA A TURMA PINXADORA DE HOPLIAS, SÔ DO CÉÉÉU!!!

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Receita - Traira ao Molho

Oláááá povo bãããum demais da conta que eu aaaaamo sô!
Hoje estava vendo algo pra fazer quando pegar a próxima Hoplias e achei esta receita muito bacana. 
Não testei ainda porque não fui pro açúde tentar a sorte com as bocudas mas a próxima pescaria vou tentar pinxar umas 2 baitelas e fazer essa receita show de bola de lamber os beiço sô!!! 
Se frita em rodelas já fica perfeita, imagina ao molho!!! Hummmmmmmmm




terça-feira, 16 de setembro de 2014

MUUUUY BELO VÍDEO DE "HOPLIAS"

Aoooooo pescadozada do meu rincão pescatício sô!
To postando aqui um vídeo de "Tararira" que nossos Hermanos fizeram de uma bela, mas pense numa BELA pescaria de Hoplias lá na Argentina e o melhor de tudo é o lugar, parece o PARAÍSO de traíra dos meus sonhos!!!!

Um dia quero ir para aquelas bandas só pra pescar TARARIRAS e estrear todas minhas iscas artificiais porque tem muuuuuita dentuça daquele lado, pois além de tudo eles tem muita consciência em termos de Catch e Release. 

Tire base dos maiores dourados e pintados estão por aquelas bandas e muitos brasileiros preferem pescar do lado de lá do que do lado de cá que está praticamente "devastado" por "pescadores" de FDS e profissionais!

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

ATÉ MEU NIVER TEM HOPLIAS NO BOLO SÔ!!!

Aoooooooooo pescadozada do meu sertão véio sem porteeeera sô!!!
Ontem foi minha festa de aniversário de 33 aninhos (mas meu niver é hoje! hihihihihi) e resolvi fazer algo diferente desta vez e pra variar tinha que ter Hoplias no meio! hihihihihihi



Além do churras e muuuuuitos doces, pirulitos, balas e bolo Prestígio ( que eu aaaaamo por demais da conta!) mandei fazem um MINIMIM PESCADÔ pra ficar em cima do bolo pescando Hoplias e até a decoração do bolo tinha que ter a ditacuja com meu logo nas laterais! hihihihihihihi




Agora que lembrei que esqueci de comprar os balões com meu logo mas fica pra próxima, daí eu coloco até uma piscina cheio de traíra pra pescar no meio da festa! hohohohoho





Mas falá proceis moçada, nunca me diverti tanto no meu próprio aniversário como este e como estou indo pra idade de Cristo, tinha que ser algo ESPECIAL e com algo que eu gosto muuuuuito, além disso até "envelheci" de verdade ali e a criançada com a galera adorou minha performance! 




Por isso que eu digo que temos que fazer oque amamos de verdade e ser cercado por pessoas que nos querem bem de verdade e fazer o nosso momento valer a pena, pois isso realmente meus amigos, NÃO TEM PREÇO.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Traíra nos pesqueiros se pega com isca soft

Oláááá pescadozada do meu rincão boiadeeeeero sô!
Esta matéria é mais uma do site da Pesca e Cia que achei muito bacana e que pode ser útil a você que deseja pinxar umas "Traíras Malabaricus" naquele fds tão esperado e pode ser a isca coringa para aquele dia com vento CHATO ou calor escaldante quando elas acham de ficar dormindo no fundo do açúde.

Confira algumas dicas que a Pesca & Companhia sugere para você aproveitar


Ir ao pesqueiro favorito é uma boa alternativa . E uma das espécies que o pescador pode encontrar é a traíra.

Chamadas de dentuças, ou lobós, essa espécie “com cara de primitiva” encanta pela sua agressividade ao atacar uma isca natural ou artificial. Quando fisgada, pode saltar para fora d’água, fazendo acrobacias que afirmam sua força.

Uma das técnicas que nosso staff vem utilizando nas pescarias de traíras nos pesqueiros é com o uso de iscas soft. Aí vai da disponibilidade do arsenal de cada um: minhocas, sapinhos, salamandras e ratos artificiais.

O segredo está no arremesso. “Coloque” a isca de sua preferência bem rente à margem, fazendo com que ela passe o mais próximo possível de estruturas, como matas alagadas, troncos e raízes submersas. São nessas estruturas que as traíras buscam abrigo e ficam espreitando alguma presa.


No caso de usar sapinhos, preste muita atenção na velocidade de recolhimento. Ela pode ser alterada de acordo com a “manha” das traíras, que ora estão rápidas, ora estão mais preguiçosas. Com as minhocas, verifique a profundidade do lago para saber se deve usar ou não um peso para afundá-las.

Quanto ao equipamento, use vara de seis pés (1,82 m) ou mais comprida, por conta da alavanca, e de ação rápida. Não se esqueça de empregar líder de fluorcarbono (30 a 50 lb) ou de aço flexível, pois a dentição das traíras tem “corte” suficiente para romper as linhas de monofilamento ou multi.

Fonte: Site Revista Pesca e Cia - www.revistapescaecompanhia.uol.com.br

terça-feira, 12 de agosto de 2014

“Sapeando” as traíras

Olá povo do meu sertão boiadero pescatício sô!!!!
Estava olhando o portal da Pesca e Cia e achei esta matéria muuuuuuuito interessante sobre frogs tipo "shad" de silicone mole e é muuuuito bacana principalmente por poder usar em vegetação fechada alagada pois o anzol é totalmente encravado na isca, sem nenhum tipo de enrosco encher o saco!
É no meio da mata alagada que estão as maiores dentuças. Testamos uma isca espetacular na represa de Atibainha e o resultado foi muito positivo!!!






Uma forma bastante divertida e eficiente de fisgar as traíras é com os sapos de borracha. Ainda pouco conhecida pela maioria dos nossos pescadores, essa artificial já se tornou febre nos Estados Unidos para a captura de tucunarés e black basses. Por aqui, ela funciona muito bem com as dentuças, desde que exista a estrutura adequada para usá-la, como a citada a seguir. Fizemos esse teste na represa de Atibainha, em Nazaré Paulista (SP).


A traíra costuma se “esconder” em pontos mais tranqüilos, como em locais onde existe vegetação submersa e margens alagadas. Ali ela fica à espera de algum peixinho, anfíbio ou presas pequenas. Nessas estruturas, o pescador raramente se atreve a arremessar uma isca de superfície ou meia-água por ter medo do enrosco. Com o sapo, problema descartado, já que ele é provido de sistema anti-enrosco.


Para essa pescaria, lembre-se sempre de arremessar o sapo sempre bem rente à margem. Se você lançá-lo para fora da água, não se preocupe, a simulação de um anfíbio fugindo ou invadindo o território alheio será melhor ainda. O ataque pode ser certeiro e surpreendente. Caso o arremesso seja para o leito do local de pesca escolhido, ou em algum ponto sem estrutura, a probabilidade de captura é remota.


Recolha continuamente, sem se preocupar com a vegetação que está pela frente. Para que a isca trabalhe melhor, deixe a ponta da vara erguida e abaixe conforme ela se aproxima de você. Quando o sapo for atacado, espere um pouco para fisgar. Esse detalhe faz a diferença, pois é o tempo da traíra acomodar a sua “presa” na boca e assim ser melhor fisgada.





Equipamento sugerido:

Varas a partir de 6´ para linhas de 20 lb

Linha multifilamento de até 20 lb

Empate de aço flexível de até 20 lb ou linha fluocarbono de até 60 lb

Sapinho: modelos nacionais podem ser encontrados nas melhores lojas de pesca do Brasil.

Fonte: site Pesca e Cia